imagem capa

Semioticamente Falando – Parte II

Por Julio Teodoro

No texto anterior demos uma passeada geral pelo básico da teoria da informação e de como as mensagens se comportam. Hoje vamos continuar esse passeio falando um pouco sobre picos de informação e ritmo e periodicidade nas redes sociais, e você no meio de tudo isso.

Picos de informação

É interessante citar que o ritmo do meio digital é extremamente acelerado, temos acesso a uma grande gama de informações em pouco tempo. Podemos considerar que existam picos de informação: a mensagem aparece em sua audiência máxima e o expectador volta sua atenção para ela. Com o tempo a audiência vai diminuindo e aparece outra mensagem com audiência maior, e o expectador vira sua atenção para ela, e assim contínua.

Uma mensagem com mais audiência sempre vai chamar mais atenção, e com o tempo as mensagens vão perdendo essa audiência. Assim, as mensagens novas que aparecem chamam mais a atenção.

Ritmo e periodicidade

Nesse quadro ditado pelos picos de informação, se considerarmos a variável tempo, chegamos às noções de ritmo e periodicidade. Periodicidade diz respeito à capacidade do receptor de prever a mensagem, através da repetição de elementos significativos em tempo ordenado, melhorando sua recepção. Ritmo diz respeito à frequência com que os elementos são repetidos, criando no expectador um estado de expectativa.

Quando escutamos uma musica, por exemplo, é mais fácil decorar o refrão do que o resto da letra, já que ele se repete mais vezes. Às vezes é normal tentarmos cantar o refrão junto com a música depois de um tempo, numa tentativa de prever o refrão que já é conhecido pela periodicidade.

Quanto mais rápido o ritmo, mais rápido o indivíduo consegue prever quando vai ser a próxima repetição, criando expectativas para essas novas mensagens que vão chegar.

Podemos perceber muito do que foi falado até agora no diagrama abaixo. A questão das expectativas por novas mensagens criada pelo ritmo e periodicidade e pela possibilidade de mudança da situação atual geram um ciclo vicioso, onde o indivíduo passa muito tempo esperando, sem criar nada.

As vezes podemos ficar num ciclo vicioso onde acabamos jogando muito tempo fora

Suprindo as expectativas criadas, temos uma maior adesão do expectador. Segundo J.Teixeira coelho netto (1999, p. 158):

“Adesão traduz-se por uma atitude passiva diante da mensagem, um comportamento consumidor e não criador ou recriador.”

Ou seja, o receptor tem suas expectativas sanadas (pelo menos algumas) pela nova mensagem, e com o aparecimento de novas mensagens de audiência maior acaba por não transformar a informação anterior em conteúdo relevante, já que essas novas informações de audiência maior chamam a sua atenção. Com isso acaba se tornando mero consumidor de toda a informação que vai recebendo, sem processá-la e transformá-la em conhecimento.

Quantas vezes você já se pegou entediado em redes sociais esperando aquela atualização que vai te tirar do tedio e ela não chegou, e no final você percebeu que passou um bom tempo não fazendo nada? O procrastinar online virou regra, todo mundo faz, muitas vezes sem perceber direito, mas até que ponto isso começa a atrapalhar nossas atividades?
agora que conhecemos essa dinamica sedutora das redes sociais, podemos escolher se vamos nos deixar ser levados por ela ou se mudamos, passamos por cima da expectativa e vamos fazer as nossas coisas, Dessa vez não por intuição, mas por conhecimento.

Outros posts da série

Julio Teodoro

Julio Teodoro

19 anos, estudante de design gráfico pela UTFPR 5º período, apaixonado pelo design e tudo o que ele traz.

Conteúdo relacionado

Comentários