image

#02 A Informação no Transporte Público

Por Maia Amanda

A coluna de hoje continua falando sobre a informação no transporte público. No entanto, o post abordará este tema com foco diferenciado – na ARTE! Isso mesmo! Quem disse que a arte não está presente no transporte público e que ela pode vir a informar algo?

Bem, para ilustrar esse assunto, nada mais justo do que apresentar para vocês um dos sistemas de transporte mais inspiradores do mundo. Considerado um palácio em baixo da terra, o Metrô de Moscou teve grande parte de suas estações idealizadas durante a 2ª guerra mundial, sob o governo de Stálin. Ao circular, você pode até se confundir e achar que está dentro de um museu que relembra grandes fatos históricos do país soviético. A constante presença do mármore, estátuas, vitrais, lustres e candelabros gigantescos e luxuosos sintetizam a realidade do país na época de sua construção. A temática das estações e bilheterias também trazem aspectos dos valores comunistas-soviéticos: martelos, foices e ornamentos rebuscados e ostensivos. Os estilos presentes também evocam períodos da história da arte, como o romantismo, o art nouveau e o art déco. Os heróis russo também são homenageados em algumas estações.

Figura 01: Estações do metrô de Moscou

Figura 01: Estações do metrô de Moscou

O Московский, ou Metropolitan de Moscou, é o sexto metrô mais extenso do mundo, com 292,2km de extensão, ficando atrás apenas de Nova York, Londres, Paris, Tóquio e Seul. Com 185 estações subterrâneas, são 12 linhas transportando cerca de 9 milhões de pessoas por dia.

Além de bonito, o metrô é barato. Por apenas 28 rublos (aproximadamente 1 real e 80 centavos) você pode se maravilhar com as belezas subterrâneas que a principal linha de estações temáticas – a linha 05, circular marrom (também chamada de Kolhtsevaia – Кольцевая) – pode oferecer. Uma das principais estações é a Elektrozavodskaya, onde o teto possui refletores com lâmpadas que iluminam todo o ambiente. Já a Majakovskaja e Komsomolskaya são estações premiadas por sua arquitetura e beleza. Neste  link de o “O Globo” é possível visualizar as principais estações do metrô de Moscou. As figuras a seguir também ilustram um pouco desta obra de arte subterrânea.

Figura 02: Estação Elektrozavodskaya

Figura 02: Estação Elektrozavodskaya

Figura 03: Estações mais famosas do metrô de Moscou*

Figura 03: Estações mais famosas do metrô de Moscou

Figura 04: Estações mais famosas do metrô de Moscou

Figura 04: Estações mais famosas do metrô de Moscou

Figura 05: Estações mais famosas do metrô de Moscou

Figura 05: Estações mais famosas do metrô de Moscou

Apesar da beleza artística das estações, a informação no transporte deixa um pouco a desejar. Todos os terminais apresentam mapas e  e diagramas referente aos trajetos de cada linha. No entanto, as informações são exibidas no alfabeto local (cirílico) o que dificulta um pouco seu uso, principalmente por parte de um estrangeiro.

Figura 06: Informação no metrô de Moscou

Figura 06: Informação no metrô de Moscou

Para ilustrar um pouco as possíveis dificuldades encontradas ao utilizar este sistema de transporte, vou contar uma experiência pessoal em Moscou. Eu cheguei na cidade às 6hrs da manhã e como era cedo para fazer checkin no albergue, decidi deixar as minhas malas e sair para passear. Fui na época do verão (julho) quando a claridade do dia durava entre 16 e 18hrs, então naquele horário da manhã o sol já estava brilhando no céu. Perambulei pela cidade o dia inteiro. Fui tão longe que não havia pernas para retornar a pé. Lá pelas 16hrs decidi pegar o metrô para voltar ao albergue e descansar um pouco. Como uma boa designer e pesquisadora na área, aproveitei a situação para começar a analisar o transporte público do local. Entrei na estação mais próxima e me deparei com um grande problema: no mapa não havia um ponto “você está aqui” então levei cerca de uns 10 minutos tentando decifrar os códigos para encontrar a minha localização. Depois disso demorei outros 10 minutos para encontrar meu destino final.

Figura 07: Estações no mapa do metrô de Moscou

Figura 07: Estações no mapa do metrô de Moscou

Após essa “pequena” e “rápida” confusão – considerando que eu era uma turista e não tinha pressa nenhuma para chegar ao meu destino final – entrei na estação e fui atrás da linha que atendia a minha necessidade de deslocamento. Porém, nas plataformas cruzavam diversas rotas que circulavam em todos os lados e não havia nenhuma indicação ou nome de linha, apenas de estação. Então pensei: Calma Amanda, deve haver alguma informação em algum lugar. Comecei a procurar e avistei placas onde estavam nomeados os trajetos e as paradas daquele ponto…. tudo em CIRÍLICO. Então, logo tive a ideia de perguntar para alguém, já que – supostamente – quem tem boca vai a Roma! Porém, logo me dei conta que na Rússia esse dito popular não funciona muito bem, já que quase ninguém fala inglês (pelo menos não em Moscou). Bem, em resumo, após muito circular embaixo da terra, eu demorei cerca de três horas para chegar na estação desejada e mais uns 30 minutos para encontrar a saída certa (Sim! Ainda haviam várias saídas). Foi um experiência cansativa, mas pude aprender no sufoco como funciona o metrô de Moscou. Claro que enquanto estava perdida, acabei conhecendo várias estações divinas então não considero que tenha sido um passeio em vão. De qualquer maneira, isto é apenas um exemplo de como a informação confusa e/ou inacessível pode prejudicar o deslocamento e fazer com que a gente se frustre com a situação. Agora imagine se eu estivesse com pressa?

A seguir trago algumas frases do texto de Negromonte (2006) para o UOL Viagens onde ele confirma a dificuldade de encontrar informação no transporte de Moscou:

“Na plataforma, a dúvida: qual trem pegar, o da direita ou o da esquerda? A programação visual das placas de informação do metrô, todas apenas em cirílico, é tão sóbria e sucinta que quase as deixa desapercebidas – especialmente para quem não domina o russo”

“Às vezes acontece de se tomar o vagão na direção oposta, natural. Você percebe isso de duas maneiras. A mais óbvia é que a estação seguinte não era a que você esperava. A outra, mais sutil, é a voz do sistema de som do vagão que informa a próxima estação: se for masculina, o trem vai em direção ao centro (ou “ao trabalho”); feminina, na direção contrária (ou “para casa”). Na linha circular, a voz masculina soa nos vagões que trafegam no sentido horário, e a feminina, no anti-horário” (NEGROMONTE, 2006)

Curiosidade: As estações do metrô de Moscou são muito profundas. O motivo disso é que essas estações foram projetadas para servir de abrigo para a população em caso de ataques e guerras nucleares. A estação Park Pobedy, por exemplo, tem escadarias de 120 metros de altura e são necessários cerca de 3 minutos para descer ela completamente! Isso significa que se leva mais tempo pra descer as escadarias do que esperando o próximo metrô (90 segundos).

Figura 08: Estação Park Pobedy

Figura 08: Estação Park Pobedy

 

Fonte

COELHO, Luciana. Metrô da capital russa é obra de arte e de história

NEGROMONTE, Marcelo. Metrô de Moscou é bom, bonito e barato. UOL Viagem.

O GLOGO – Uma passeio pelo metrô de Moscou.

PISSAIA, Camila. Um Passeio pelo Metrô de Moscou.

Maia Amanda

Maia Amanda

Atualmente trabalha na Vitao Alimentos como responsável pelo setor de Design e Marketing. Mestre em Design da Informação (UFPR/2013) e formada em Design Visual (ESPM/2010). Intercambista em Lisboa e nos EUA. Em suas experiências,descobriu a paixão pelo estudo da informação e do design aplicado ao transporte público. Mobiliário Urbano, Representação de Mapas, Design Inclusivo, Daltonismo e Estudo da Cor também foram paixões descobertas. Além disso, ama fotografia, cores, viagens, design, grêmio, embalagem e música.

Conteúdo relacionado

Comentários