10522838_801541086531527_815131401_n

Poetizando-se

Por Vinicius Lira

Lambe-lambe, stencil, graffiti; as intervenções estão se tornando cada vez mais presente nas ruas, introduzindo a premissa da arte como meio para questionar e transformar a vida urbana cotidiana. Os realizadores de projetos de intervenções fazem com que a realidade não mais seja reproduzida e sim produzida, tendo um caráter crítico, tanto do ponto de vista ideológico como social; incitando o questionamento, a filosofia e o encorajamento de quem a percebe.

O projeto Perdido poeta, que surgiu em Pernambuco, transmite a ideia de uma injeção de ânimo buscando trazer frases de autoconfiança às ruas das cidades, instigando as pessoas a superarem as dificuldades rotineiras. Encontrado em diversas cidades do Brasil (Fortaleza, Goiânia, Recife, Caruaru) o projeto ganha cada vez mais força e espaço nas ruas. “O” ou “Os” perdidos poetas (não se sabe ao certo) se escondem atrás de lambe-lambes e utilizam composições tipográficas pra expressar suas ideologias. A beleza do projeto encontra-se no anonimato, não sabendo quem cola, onde cola, e quando cola, proporcionando experiências estéticas atreladas a novas maneiras de perceber o cenário urbano que antes tinha somente papel funcional e agora se transformam em relações afetivas com o ambiente produzido.

Aí vão algumas fotos do projeto. Se você gostou, dê uma olhada no Instagram deles, o @perdidopoeta que lá terão mais imagens desse projeto.

10358308_1374769989478988_447265205_n

925234_288825804617783_1444096457_n

927126_275211112675750_1455090377_n

10362335_757867510910596_1983810167_n

10414058_853715057990993_1225299972_n

10561199_537236403071033_1412831835_n

10616943_746445882079589_1569738365_n

917890_310228409129445_416282304_n

10522838_801541086531527_815131401_n

10554139_1494787524101465_643314766_n

Continuem perpetuando poesias por paredes perdidas (…)

Vinicius Lira

Vinicius Lira

“Designista” em formação, barbudo, poeta de rua, e idealizador do estúdio Fabrico de Idéias, não buscou encontrar o design, mas acabou sendo encontrado por ele, crítica até as próprias críticas e ama tipografia. Passa mais tempo pensando do que produzindo e vive tentando encontrar-se na eternidade do design.

Conteúdo relacionado

Comentários