O Boto

Por Wagner Regis

Aproveitando que nessa semana comemoramos o Dia do Saci, e indo no embalo dos assunto sobre temas folclóricos nacionais, a animação que iremos comentar hoje faz parte de um projeto, o qual achei bastante interessante: Juro que vi.

O que pode acontecer quando juntamos uma equipe de profissionais e crianças de até 10 anos para produzirem um desenho animado? Bom, a pedido da prefeitura do Rio de Janeiro, foi exatamente isso que aconteceu. Crianças foram convidadas a proporem roteiros sobre como conheciam alguns personagens do nosso folclore, e baseado nessas informações e a empresa MultiRio adaptou e desenvolveu os projetos animados. Durante as palestras que realizo, sempre exibo o do “Curupira”, que foi um dos primeiros que conheci e acho muito bacana, mas para compartilhas com vocês apresentaremos aqui a anima referente a outro personagem, “O Boto”.

O resultado obtido lembra muito o traço Disney, algo que já chama a atenção, e a própria narrativa sem dialogos, apenas com efeitos sonoros contam toda a história, ou seja, mantendo aquele jeito maroto e infantil de muitos desenhos animados de nossa infância.

Enfim, essa temática é algo que povo nosso imaginário desde sempre, e nesse meio de suporte também não é novidade, visto que em “A Sinfonia Amazônica” (primeiro longa-metragem animado preto e branco) e “Piconzé” (primeiro longa-metragem animado colorido), diversas dessas lendas já eram representadas. Algo que também foi realizado durante a apresentação do meu TCC, nessa semana, também.

Cabe aqui lembrar que muitas vezes, uma união inusitada pode gerar ótimos frutos e resultados. Partir do presuposto que apenas ter uma idéia ela por si só ira se sustentar, pode acabar sendo o primeiro erro e deslanchar tudo que poderia vir a ser criado.

Wagner Regis

Wagner Regis

Designer Gráfico por formação e Pós-Graduado em Jogos Digitais (UP). É co-fundador do estúdio de animação "Make Toons", professor na Universidade Positivo, e feliz por gostar do que faz.

Conteúdo relacionado

Comentários